Número total de visualizações de página

22/10/2013

Orientações de aprendizagem

Nota do professor: Para preparar convenientemente os momentos de avaliação sumativa, deves, atempadamente, analisar as orientações de aprendizagem e começar a estudar usando o manual e os apontamentos do teu caderno diário. Qualquer dúvida que te surja deverá ser colocada ao professor na sala de aula ou em qualquer momento onde te seja possível reunir com o docente. Usa o email para tirar dúvidas: gouveiajm@gmail.com
Bom trabalho!

Identifica as principais diferenças entre os estilos românico e gótico.

Conhecer os fatores (causas) que estiveram na origem da crise do século XIV.

Avaliar as consequências da crise (demográficas, económicas e sociais).

Conhecer a ação dos reis portugueses para tentar ultrapassar os efeitos da crise do século XIV, em Portugal.

Compreender os factos que estiveram na origem da crise política portuguesa e o seu desenvolvimento.

Conhecer as tomadas de posição e o envolvimento da sociedade portuguesa nesta crise política.

Justificar a importância da batalha de Aljubarrota.

Localizar no tempo e no espaço o expansionismo europeu.

Assinalar os fatores (motivações e condições) que contribuíram para o pioneirismo português na expansão europeia.

Mostrar o interesse de toda a sociedade portuguesa na expansão.

Explicar os interesses que estavam na base da expedição portuguesa a Ceuta.

Compreender as principais razões do fracasso da expedição a Ceuta.

Conhecer as primeiras descobertas e o modo de ocupação e exploração das ilhas atlânticas.

Conhecer as principais fases da descoberta e o modo de exploração da costa africana 


Comparar a política expansionista de D. Afonso V com a de D. João II.

26/05/2013

Orientações de aprendizagem

1- A Revolução Francesa: principais causas da revolução (pág.20)

2 -Que alterações ocorreram com a revolução francesa? (pág.22-24)

3- As conquistas da revolução: que ideias chave ficaram da revolução francesa e que mais tarde alastraram a muitos lados no mundo? (pág.26)

4-A Revolução Liberal Portuguesa: As invasões francesas: porque se dão? A fuga do rei para o Brasil-quem fica cá a defender o país? (página 28)

5 - A revolução de 1820: o que motivou os revolucionários? (pág.30)

6 – Principais mudanças no país (pág. 30)

7- O regresso do rei e a guerra civil entre dois irmãos- causas dessa guerra. (D. Pedro liberal e D. Miguel absolutista) (pág.32)

8- O triunfo da Monarquia Constitucional: após um período conturbado de guerra civil Portugal vai finalmente conseguir estabilizar-se e fazer reformas liberais de fundo: quais foram essas reformas e quem foi o seu obreiro? (pág.34)

9 - A Expansão da Revolução industrial:
9.1 - Os novos países industrializados;
9.2 - O desenvolvimento dos transportes e o desenvolvimento do comércio mundial;
9.3 - Novas industrias e novas fontes de energia.

 Sobre a Revolução Liberal Portuguesa, consulta este documento:

13/05/2013

Ficha Formativa: Revolução liberal portuguesa


As invasões francesas e o regime liberal português
Cortes portuguesas 


Responde às questões e publica as tuas respostas no Blog. Não esqueças: elabora as tuas respostas no word e depois de verificares se estão corretas, copia-as para a caixa de publicação de comentários. Identifica o teu nome no final.
Prazo limite: 5ª feira à noite.
Bom trabalho!

COMENTÁRIO DO PROFESSOR

Apenas 5 alunos (André, Bruna, Edgar, Iolanda e Sandro), cumpriram a sua obrigação, realizando a ficha de trabalho. Lamento a falta de responsabilidade da parte da maioria dos alunos, situação que não contribui para o trabalho de equipa e a a confiança que se pretende estabelecer entre professor e alunos.


1 – Onde estavam o Rei e a Corte durante as invasões francesas?
Estavam no Brasil, onde se refugiaram após a entrada em Portugal do exército franco-espanhol, durante as invasões francesas.

2 – Quantas invasões, das tropas franco-espanholas, Portugal sofreu? Refere os anos, as regiões onde se verificaram e os generais que as lideraram.
Portugal sofreu três invasões: 
1ª invasão - ocorreu em 1807 – entrou pela Beira Baixa (Segura) e avançou em direcção a Castelo Branco, Vila Velha de Ródão, Abrantes e Lisboa, seguindo a linha do Tejo. Foi liderada pelo general Junot.
2ª invasão - ocorreu em 1809 – entrou pelo Norte, passou por Chaves, Braga e Porto. Foi comandada por Soult, 
3ª invasão - ocorreu em 1810 - entrou pela Beira Alta, ao longo do Mondego, em direcção a Lisboa, tendo sido detida nas linhas de Torres. Foi comandada por Massena


3 - Depois de expulsos os franceses quem assegurou o governo de Portugal?
Foram os militares ingleses, liderados pelo general Beresford, que assegurou a regência.

4 – Os portugueses concordavam com este governo? Justifica a tua resposta.
Não concordavam porque o Brasil foi promovido à categoria de reino e Portugal tornou-se uma colónia brasileira.Os ingleses aproveitaram para defender os seus interesses, abrindo os portos brasileiros ao comércio estrangeiro, reduzindo as taxas alfandegárias dos produtos ingleses e prejudicando os negócios do comércio e indústria portugueses, em favor da Inglaterra.

5 - Identifica dois momentos de reação dos portugueses contra a governação inglesa.
Em 1817 deu-se uma conspiração contra os ingleses que foi fortemente reprimida, tendo o general Gomes Freire de Andrade sido enforcado
Em 1820 os regimentos do Porto revoltaram-se, mais tarde verificou-se o mesmo em Lisboa. A revolução Liberal triunfou.


6 – Onde e em que data foi feita a Revolução Liberal portuguesa?
Foi no Porto em 24 de Agosto de 1820.

7 – Resume as mais importantes decisões tomadas pelas Cortes Constituintes.
Exigiram o regresso do rei D. João VI; 
puseram fim a o regime feudal abolindo os direitos senhoriais; 
extinguiram a inquisição e nacionalizaram os bens da Coroa;
elaboraram a 1ª constituição portuguesa que defendia os direitos e liberdade , a soberania da nação e a separação dos poderes.


8 – Que tipo de regime foi implantado?
Uma monarquia constitucional.

9 - Quais os motivos que levaram D. Pedro a proclamar a independência do Brasil?
Porque as Cortes Constituintes legislaram no sentido de o Brasil voltar a ser uma colónia e que o príncipe D. Pedro voltasse para Portugal. Este apoiado pela sociedade brasileira reagiram declarando a independência. “Grito do Ipiranga”.

20/04/2013

Correção da ficha formativa: Revolução agrícola e industrial

Descarrega o ficheiro trabalhado na última aula e que agora já podes aceder.