Número total de visualizações de página

14/01/2013

A União Ibérica

Antecedente: a crise dinástica 

Que resultou da morte de D. Sebastião, antes de deixar descendentes. Entre os possíveis sucessores estava o poderoso Filipe II, bisneto de D. Manuel, que governava o mais poderoso império colonial.

O poder de Castela e a crise do Império Português 

Filipe II soube estabelecer relações políticas e económicas com a nobreza, o clero e a burguesia portuguesas, obtendo dos mesmos um forte apoio pois estes grupos, devido à decadência do Império português, viam com interesse o acesso a novos mercados que eram o Império Espanhol. Para fazer valer os seus direitos Filipe II invadiu Portugal e contando com o apoio da nobreza e da burguesia portuguesas, Filipe II uniu as duas coroas, dando início a uma nova fase da política portuguesa: a União Ibérica, que se estendeu até 1640.

A administração dos reis espanhóis 


Num primeiro instante, cumprindo as promessas juradas por Filipe II nas cortes de Tomar, em 1581, Portugal manteria a autonomia administrativa e os seus domínios continuariam separados das possessões espanholas. No entanto, esse quadro perdurou por pouco tempo, pois o poder administrativo castelhano incumbiu-se de anular a autonomia lusitana, através da centralização do poder administrativo em torno de Castela.

A governação de Filipe III e do seu filho Filipe IV agravaram o incumprimento dos seus deveres para com Portugal: nomearam-se ministros castelhanos para o Conselho de Portugal, em violação dos compromissos assumidos nas cortes de Tomar. Essa medida, bem como o aumento dos impostos, devido à participação na Guerra dos Trinta Anos e como forma de sanar os problemas económicos e militares existentes no território espanhol, caracterizaram um governo extremamente impopular. O descontentamento social fez eclodir em Portugal os movimentos antifiscais, como por exemplo o ocorrido na Revolta do Manuelinho, em Évora.


A reacção portuguesa 

A União Ibérica não impediu a decadência do reino português, envolvido nas sucessivas e desastrosas guerras que a Espanha sustentava na Europa. As maiores desgraças recaíram sobre os domínios portugueses que eram atacados pelos inimigos de Castela, sobretudo no Brasil onde Portugal tinha os maiores interesses económicos. O aumento de impostos e o afastamento da nobreza portuguesa do governo, as guerras de Castela e as revoltas na Catalunha fizeram eclodir a restauração do domínio português em 1640.

Questionário:


Qual o primeiro e principal motivo que originou a União Ibérica? 

Explica a chegada de Filipe II ao trono de Portugal. 


Como descreves a governação de Filipe III e Filipe IV?


Quais os motivos que levaram à revolta dos portugueses e á restauração da Independência?


Entre que anos Portugal e a Espanha estiveram unidos numa única coroa? 

12 comentários:

Jéssica Mourato disse...

1-Principal motivo que originou a União Ibérica foi, Filipe II invadiu Portugal e uniu as duas coroas, dando início a uma nova fase da política portuguesa chamada União Ibérica que se estendeu até 1640.
2-A chegada de Filipe II ao trono resultou, da morte de D. Sebastião, antes de deixar descendentes, entre os possíveis sucessores estava o poderoso Filipe II, bisneto de D. Manuel, que governava o mais poderoso império colonial.
3-A governação de Filipe III e do seu filho Filipe IV agravaram o incumprimento dos seus deveres para com Portugal, nomearam-se ministros castelhanos para o conselho de Portugal, essa medida, bem como o aumento dos impostos, devido à participação na Guerra dos Trinta Anos e como forma de sanar os problemas económicos e militares. Caracterizaram um governo extremamente impopular, o descontentamento social fez eclodir em Portugal os movimentos anti fiscais, como por exemplo o ocorrido na Revolta do Manuelinho, em Évora.
4-Os motivos que levaram à revolta dos portugueses e á restauração da Independência foram, as sucessivas e desastrosas guerras que a Espanha sustentava na Europa, as maiores desgraças recaíram sobre os domínios portugueses que eram atacados pelos inimigos de Castela, o aumento de impostos, o afastamento da nobreza portuguesa do governo, as guerras de Castela e as revoltas na Catalunha.
5-Entre 1581 a 1640 Portugal e Espanha estiveram unidos numa única coroa.

Anónimo disse...

Questionário

1-O primeiro e principal motivo que originou a União Ibérica foi a morte de D. Sebastião, sem deixar sucessor ao trono português.

2-Filipe II chegou ao trono de Portugal com o apoio da nobreza, do clero e da burguesia pois estes grupos viam com interesse o acesso a novos mercados que eram o Império Espanhol.

3-Eu descrevo a governação de Filipe III e Filipe IV uma governação mal feita porque tiraram todos os direitos aos portugueses (que lhes tinham sido dados por D. Filipe II) e aumentaram os impostos como forma acabar com os problemas económicos e militares da Espanha.

4-Os motivos que levaram à revolta e à restauração da Independência foram: o envolvimento de Portugal nas desastrosas guerras que a Espanha sustentava à Europa; os domínios portugueses eram atacados por inimigos da Espanha, principalmente o Brasil, onde Portugal tinha os maiores interesses económicos; o afastamento da nobreza de Portugal do governo; as guerras de Castela e as revoltas da Catalunha.

5-Portugal e Espanha estiveram unidos numa única coroa durante 60 anos (de 1580 a 1640).

Sandro Sousa Nº11 8º A

Anónimo disse...

Trabalho de história
Pergunta 1- a união ibérica aconteceu apos a morte de D. Sebastião não havendo sucessores Portugal entrou numa crise dinástica e como Espanha estava em máximo poder entre todos os impérios Portugal achou por bem juntar se a ela havendo assim uma união de croás e uma nova fase da política portuguesa
Pergunta 2-a chegada não foi fácil visto que de entrar em guerra com o d António para governar Portugal mas apoiado pela regência que governava Portugal Felipe ll foi aclamado em 1581 nas cortes de tomar rei de Portugal assinado um acto de governação que criava uma monarquia dupla
Pergunta 3- a governação foi feita de maneira incorrecta poi os espanhóis tinha um compromisso com Portugal assim ado nas cortes de tomar que era agora violado incumprindo as regras propostas e levando Portugal para maus caminhos
Pergunta 4-os motivos que levaram a revolta dos portugueses foram: o incumprimento dos deveres dos reis espanhóis para com Portugal tal como os aumentos dos impostos e a participação em guerras tudo o que fez com que Portugal quisesse restaurar a independência.
Pergunta 5- Portugal e Espanha estiveram unidos numa croá chamada união ibérica durante anos entre 1580 e 1640.

Tiago cruz

Anónimo disse...

A União Ibérica

1-Opricipal motivo que originou a união ibérica foi que Portugal estava em decadência.
2-O D. Filipe II soube estabelecer relações políticas e económicas com a nobreza, o clero e a burguesia portuguesas, obtendo dos mesmos um forte apoio pois estes grupos, devido à decadência do Império português, viam com interesse o acesso a novos mercados que eram o Império Espanhol.
3-A governação de D. Filipe III e D. Filipe IV não cumprirão os deveres com Portugal que D. Filipe II tinha falado.
4-Os motivos que levou a revolta portuguesa foi: não impediu decadência de Portugal, as desastrosas guerras que a Espanha sustentava na Europa, as maiores desgraças recaíram a Portugal que era atacado pelos inimigos de Castela, no Brasil onde Portugal tinha os maior interesses económicos, aumento dos impostos e o afastamento da nobreza portuguesa do governo.
5-Os anos que Portugal e Espanha estiveram unidos são: 1581 ate 1640


Rodrigo Pires
nº10
8ºano

iolanda disse...

1-o principal motivo que originou a União Ibérica foi a morte de D. Sebastião não deixando descendentes.

2- Filipe II chegou ao trono de Portugal por ser um dos candidatos ao trono. Ele conseguiu porque os outros candidatos ( D. Catarina, D. António e D. Ramuccio Farnese) não queriam governar Portugal ( no caso de D. Catarina e D. Ramuccio Farnese) ou foram derrotados numa batalha contra D. Filipe II (no caso de D. António). Com isto tudo só restou D. Filipe II.

3-Filipe III e Filipe IV ao governarem Portugal não respeitaram os compromissos assumidos nas cortes de Tomar por Filipe II. Nomearam ministros castelhanos, aumentaram os impostos para a sua participação na Guerra dos Trinta Anos, ao contrário do que tinha ficado estabelecido nas cortes de Tomar.

4-Os motivos que levaram os portugueses a revoltarem-se e a restaurarem a Independência foram por causa do aumento dos impostos, do afastamento da nobreza portuguesa do governo, das guerras de Castela e pelas revoltas na Catalunha.

5-Portugal e Espanha estiveram unidos desde 1581 a 1640.

Iolanda Tavares nº6 8ºA

Anónimo disse...

1- O motivo foi a morte de D.Sebastião.
2- Após a morte de D.Sebastião que não tinha descendentes, sucedeu-lhe o seu tio-avô, D.Henrique que morreu em 1580 sem deixar sucessor e deu origem a uma crise dinástica. O governo de Portugal foi entregue a uma Junta de Governadores que solucionaria a crise dinástica. Da descendência de D.Manuel I existiam vivos 4 netos e 1 bisneto, que podiam subir ao trono. D.Antonio não esperou mais e fez-se aclamar rei de Portugal, mas era filho ilegítimo de D.Luis. D.Filipe II intrigado mandou logo invadir Portugal na batalha de Alcântara onde as tropas de D.Antonio foram derrotadas. D.Antonio fugiu de Portugal, mas nunca renunciou á coroa. D.Catarina disistiu das suas pretensões. D.Ramuccio Farnese era um súbdito do rei de Espanha porque era filho do governador dos Paises Baixos mas afastou-se da sucessão. Restou apenas D.Filipe II.
3- Foi uma má administração porque violaram os compromissos assumidos, “mentindo” ao povo.
4- Os motivos foram : o reino estava envolvido em guerras desastrosas que a Espanha tinha na Europa, eram atacados pelos inimigos de Castela, aumento dos impostos, afastamento da nobreza portuguesa do governo e as revoltas na Catalunha.
5- Entre 1581 e 1640.

Edgar Belo nº 5

Anónimo disse...

1-A União Ibérica resultou da morte de D. Sebastião antes de deixar descendente.
2-Como era bisneto de D. Manuel e soube aproveitar o apoio da nobreza, do clero e da burguesia. Invadiu. Portugal para valer os seus direitos de herdeiro ao trono.
3-A governação D. Filipe III e D. Filipe IV, foi ma governação fraca, autoritária e extremamente impopular, pois não cumpriu as promessas juradas por D. Filipe II.
4-O motivo que levou a revolta portuguesa foi o aumento dos impostos, o afastamento da nobreza portuguesa do governo. Os países que estavam em guerra com castelã começaram a atacar os domínios portugueses.
5-Entre 1581 e 1640


alexis afonso

Anónimo disse...


1- A necessidade de Portugal se afirmar e de manter a paz com Castela levou á assinatura de vários tratados de paz e de partilha do espaço em conquista (Norte de África) e descoberta (resto) de África , futura América e Ásia ) - Tatrados de Alcáçovas e de Tordesilhas . Esses tratados foram confirmados por casamentos entre os filhos de diferentes monarcas sem contudo pôr em causa a indepência das coroas de Portugal e de Espanha (o principe D.Afonso , o filho de D.João II, D.ManuelI e D.Jõao III casaram com princesas espanholas e o imperador Carlos V casou com uma princesa portuguesa.

2-Quando D.João morreu sucedeu-lhe ao trono D.Sebastião e como D.Sebastião morreu sem sucedores ao trono ficou o seu tio-avó , D.Henrique e criou-se assim uma crise doinástica . O governo de Portugal foi entregue a uma Junta de Governadores que estudaria e proporia a resolução da crise política.Da descêndencia de D.Manuel existiam vivos 4 netos e um bisneto , todos eles candidatos ao trono . D. António nao esperou pela decisão dos governadores e fez-se aclamar rei , mas tinha contra si a ilegitimidade do seu nascimento . As tropas de D.Filipe II , comandadas pelo duque de lba , invadiram Potugual , sendo o exército de D.António derrotado na Batalha de Alcântra , em Lisboa . D.António fugiu de Portugal , mas nunca renunciu á coroa de D.Catarina , embora apoiada por elementos do clero e da nobreza , desistiu das suas pretenções . D.Rarmuccio Farnese , filho do governador dos Países Baixos , sendo portanto um súbito rei de Espanha , afastou-se da suceesção e só restava D. Filipe II.
3-A governação de Filipe III e do seu filho Filipe IV agravaram o incumprimento dos seus deveres para com Portugal: nomearam-se ministros castelhanos para o Conselho de Portugal, em violação dos compromissos assumidos nas cortes de Tomar. Essa medida, bem como o aumento dos impostos, devido à participação na Guerra dos Trinta Anos e como forma de sanar os problemas económicos e militares existentes no território espanhol, caracterizaram um governo extremamente impopular. O descontentamento social fez eclodir em Portugal os movimentos antifiscais, como por exemplo o ocorrido na Revolta do Manuelinho, em Évora.
4-
Os motivos foram :
-A diminuição das remessas da prta e do ouro da América
-O envolvimento da Espanha em guerras
5-Foi entre 1580 a 1640

Carolina Cruz nº 4 8ºA

Jose Araujo disse...

1-O primeiro e principal motivo foi Portugal se afirmar e manter a paz com Castela.

2-D.Filipe tinha direito ao trono com a maioria das classes do seu lado ele invadio Portugal
e unio as duas coroas.

3-D.Filipe III e D.Filipe IV agravaram o incumprimento dos seus deveres para com Portugal o
a várias revoltas dos Portugueses como por exemplo o ocorrido na Revolta do Manuelinho, em Évora.

4-Os motivos que levaram à revolta dos portugueses e á restauração da Independência foram o
envolvido nas sucessivas e desastrosas guerras que a Espanha sustentava na Europa ,os
domínios portugueses que eram atacados pelos inimigos de Castela, sobretudo no Brasil
o aumento de impostos e o afastamento da nobreza portuguesa do governo.

5-Portugal e a Espanha estiveram unidos numa única coroa entre o séc- XVI e o séc-XVII.

Trabalho realizado por : José Araújo

Jorge Gouveia disse...

1 – O principal motivo que deu origem à União Ibérica foi a morte de D. Sebastião, antes de deixar descendentes e o facto de entre os possíveis sucessores ao trono português estar o poderoso Filipe II, bisneto de D. Manuel, que governava o mais poderoso império colonial.

2 - Filipe II estabeleceu relações políticas e económicas com a nobreza, o clero e a burguesia portuguesas, obtendo destes um forte apoio. Estes grupos, devido à decadência do Império português, viam com interesse o acesso a novos mercados que eram o Império Espanhol. Para fazer valer os seus direitos Filipe II invadiu Portugal, contando com o apoio da nobreza e da burguesia portuguesas. Filipe II jurou nas cortes de Tomar respeitar os usos e costumes de Portugal, mantendo portugueses nos cargos de governação e não usando tropas portuguesas em conflitos espanhóis.

3 - A governação de Filipe III e do seu filho Filipe IV não cumpriu os seus deveres para com Portugal: nomearam-se ministros castelhanos para o Conselho de Portugal, aumentaram os impostos, devido à participação na Guerra dos Trinta Anos e usaram tropas e navios portuguesas nas suas guerras. Estes governos foram muito impopulares.

4 - O descontentamento social fez eclodir em Portugal revoltas, como por exemplo o ocorrido na Revolta do Manuelinho, em Évora.
O Império português manteve a sua decadência e os inimigos de Espanha atacavam as nossas colónias, sobretudo no Brasil onde Portugal tinha os maiores interesses económicos. O aumento de impostos e o afastamento da nobreza portuguesa do governo e as revoltas na Catalunha levaram à restauração da independência em 1640.

5 – Portugal e Espanha estiveram unidos sobre a mesma coroa entre 1680 e 1640

Anónimo disse...

1-O principal motivo que originou a União Ibérica foi a morte de D. Sebastião.
2-A chegada de Filipe II ao trono de Portugal ocorre quando Portugal esta em decadência do seu império e ele conseguiu ter o apoio da nobreza, do clero e da burguesia porque estes mesmos grupos estavam interessados em ter acesso a novos mercados que eram do império espanhol.
3-A governação de Filipe III e Filipe IV foi uma grande “farsa” porque estes não cumpriram as promessas que Filipe II impusera nas Cortes de Tomar em 1581 tais como nomearem – se ministros para o Conselho de Portugal, o aumento dos impostos devido a participação na guerra dos 30 anos de forma a sanar os problemas económicos e militares existentes no território espanhol.
4-Os motivos que levaram á revolta dos portugueses e a restauração da independência foram: as desastrosas guerras que Espanha sustentava na europa e também os domínios portugueses que eram atacados, o aumento dos impostos e o afastamento da nobreza portuguesa dos cargos do governo.
5-Portugal e Castela estiveram unidos numa única coroa desde 1580 ate 1640
trabalho realizado por: André Ribeiro

Anónimo disse...

1- D. Filipe II invadiu Portugal e uniu as duas coroas.
2- Filipe II chegou ao trono de Portugal, porque quando D. João III morreu ( em 1557 ) o D. Sebastião foi o seu sucessor. Mas D. Sebastião morreu na batalha de Alcácer-Quibir. D. Sebastião não tinha descendentes, por isso quem o sucedeu foi o seu tio-avô, cardeal D. Henrique, mas ele morreu passado dois anos ( 1580 ) sem sucessor. Ainda havia quatro netos e um bisneto, da descendência de D. Manuel, que eram D.António, D.Filipe II, D. Catarina, D. Ramuccio Farnese e D. Sebastião. D.António queria ser o rei, mas tinha contra ele a ilegitimidade do seu nascimento. D.Catarina desistiu das suas pretensões. D. Ramuccio Farnese afastou-se da sucessão. Como só sobrava D.Filipe II foi ele aclamado rei, em 1581.
3- A governação de Filipe III e Filipe IV foi um governo extremamente impopular.
4- Os motivos foram:
O aumento dos impostos e o afastamento da nobreza portuguesa do governo.
As guerras de Castela.
As revoltas na Catalunha.
5- Entre 1680 a 1640.
Tatiana Barata